Saiba o que é uma persona e como criar uma para a sua empresa

Saiba o que é uma persona e como criar uma para a sua empresa

Criar uma persona é um dos passos mais importantes para ter uma estratégia de marketing digital de sucesso, saiba porquê e crie a sua!

Uma “persona” é a representação semi-fictícia do seu cliente ideal. O seu perfil é baseado em dados reais, sobre características e comportamentos dos clientes, bem como as suas motivações pessoais, objectivos, “dores” e ambições. Ao conhecer a sua persona, poderá guiar os esforços da sua empresa, tanto na criação da estratégia de marketing digital, quanto na abordagem do seu departamento comercial / vendas. 

Continue a leitura e fique a saber tudo sobre personas. Aprenda a criar uma e melhore os resultados do seu negócio 🚀

O que são "Personas"?

Tal como dito anteriormente, uma persona é a caracterização do seu cliente ideal. Tem como objectivo criar um perfil, que reúna as principais características, dúvidas e necessidades dos clientes da sua marca, de forma a que possa criar estratégias alinhadas ao seu público-alvo. 

Se tiver uma pessoa em mente, que tem “personalidade”, dúvidas e necessidades reais, é mais fácil perceber os seus problemas e resolver questões complexas de design, interação e criação de conteúdo.

Para criar uma persona deverá pesquisar e ter um conhecimento profundo sobre quem são os seus clientes, quais as suas profissões, hobbies, como se mantêm informados, os seus gostos e necessidades, entre outros dados relevantes para a sua marca. Assim, a sua persona será construída com base em dados reais e não em suposições.

Diferença entre "Personas" e "Público-Alvo"

Se é gestor ou empresário, provavelmente já está familiarizado com o termo “público-alvo” (ou target), mas o conceito de “personas” poderá ser novo para si. Vamos simplificar. 

O público-alvo divide os mercados por idade, localização, género, rendimentos, escolariedade, hobbies, profissões, entre outros, permitindo que a comunicação não seja feita para massas, mas sim para um grupo homogéneo de pessoas. 

Então, público-alvo e personas são a mesma coisa? Não! O público-alvo, ou target, é uma caracterização mais genérica dos seus consumidores, enquanto que a persona cria uma personagem bem definida. 

A persona permite-lhe – mais do que “atingir” ou persuadir – educar e interagir, acompanhando o utilizador nas suas diferentes fases de decisão de compra.

Ressalvamos que as personas não têm de substituir o público-alvo, ambas as técnicas de segmentação devem ser utilizadas de forma complementar. 

persona

personas

Exemplo persona: A Mariana tem 37 anos, vive em Lisboa e é responsável pelo departamento de marketing de uma empresa de construção. É casada, tem duas filhas e adora passar o seu tempo livre com a família. É licenciada em marketing há cerca de 15 anos e tem vindo a sentir necessidade de reforçar os seus conhecimentos com uma pós-graduação em digital. Pensa fazer esta pós-graduação em Lisboa, para conseguir consiliar os estudos, com a atribulada vida famíliar e profissional.

público-alvo

Exemplo público-alvo: Mulheres, com idades compreendidas entre os 30 e os 40 anos, casadas. Licenciadas em gestão de marketing, com rendimentos superiores a 1200€ líquidos mensais, localizadas em Lisboa.  Pretendem enriquecer o seu currículo através de uma pós-graduação.

Como é que as "Personas" vão ajudar o meu negócio?

As personas vão facilitar a sua compreensão sobre o público-alvo, de forma a que possa comunicar e disponibilizar soluções ajustadas à sua realidade.

As personas permitem-lhe ter um conhecimento mais profundo sobre o seu cliente ideal, com quem a sua marca quer comunicar. No exemplo acima, em que diferenciámos “público-alvo” de “persona”, através do público-alvo nós sabemos que pretende alcançar profissionais à procura de uma pós-graduação, mas não sabemos quais são as suas motivações, as suas preocupações, os seus anseios. A persona vai ao fundo da questão e ajuda-o a compreender a complexidade das pessoas com quem comunica.

Saiba quais são os meios de comunicação que o seu público utiliza para se informar, interagir com as marcas e socializar. É nesses canais que a sua marca deve estar presente, para criar um relacionamento com a comunidade.

A mensagem e o tom de comunicação têm de ser igualmente ajustados à sua persona – por exemplo, não será benéfico utilizar um tom de comunicação jovem e descontraído, se o seu público for conservador.

Ao conhecer a sua audiência, será capaz de perceber quais são as suas dúvidas e que tipo de conteúdo valorizam. 

Produza conteúdos para blog, redes sociais e email marketing, que resolvam essas “dores”, ao longo da jornada de compra, e guie os utilizadores até à compra.  

Ao perfilar o seu cliente ideal, terá uma ideia bastante clara da forma como interage com as tecnologias e quais os conteúdos que mais lhe interessam.

 

Dessa forma, poderá adaptar o design e navegabilidade do seu website, para que ofereça uma melhor experiência ao utilizador.

Como pode criar a sua "Persona"?

A criação da persona deve ser um processo e não deve ser baseado em suposições. “Eu já conheço muito bem os meus clientes” – será que conhece mesmo? A sua percepção não poderá estar errada? 

Dedique tempo à criação da persona – pesquise, analise e só depois contrua. Siga os seguintes passos para criar a sua:

O primeiro passo é recolher dados para os seus estudos / análises. Defina os objectivos e o público-alvo, depois determine como vai recolher esses dados. Poderá, por exemplo, recolher dados através de questionários e entrevistas aos seus atuais clientes ou através de análises aos seus utilizadores digitais, com recurso ao Google Analytics e Hotjar, por exemplo.

As questões a colocar vão variar conforme a sua área de negócio, contudo, antes de começar, deverá definir quais são as peculiaridades que quer analisar sobre os seus clientes ideias.

Os inputs recolhidos vão ajudá-lo a resolver o quebra-cabeças que é entender o seu cliente. 

Informações Obrigatórias:

  • Nome: Ajuda na identificação e na empatia com o utilizador e poderá ser usado em acções de marketing pontuais;
  • Idade: Sabendo a idade da sua persona, será mais fácil decidir se deve utilizar uma linguagem mais informal ou séria;
  • Personalidade: Saber como é a personalidade dos seus clientes ajuda-o a saber lidar com eles – o que será extremamente valioso para a sua área comercial, que assim saberá quais são os seus “pontos fracos”;
  • Formação: Vai ajudá-lo a perceber qual é a “sensibilidade” ou conhecimento que a pessoa poderá ter sobre sua área de negócio;
  • “Dores”: Entenda quais são as dificuldades da pessoa – assim será mais fácil perceber como a vai convencer a adjudicar o seu produto / serviço, que soluciona essa dor;
  • Objetivos: Saiba o que os seus clientes querem alcançar, na vida pessoal e profissional, pois ajuda a produzir conteúdos que abordam tais metas;
  • Redes sociais: Saiba onde é que os seus potenciais clientes passam o seu tempo e poderá ajustar a sua comunicação em conformidade;
  • Interesses: Os interesses de uma pessoa, como por exemplo as suas marcas favoritas, hobbies e séries que assiste com frequência, ajudam a determinar quais são os seus gostos e temas aos quais são mais sensiveis;
  • Estado civil: Pessoas casadas e solteiras têm planos diferentes;
  • Localização: Considerando que existem variações culturais, geográficas e políticas entre as diversas regiões, saber de onde são os seus clientes poderá revelar-se bastante pertinente;
  • Marcas favoritas: Ajuda-o a entender quais são as características que o cliente procura numa empresa, os seus interesses, afinidades e até classe social.

Agora que já recolheu os dados, deve começar a separá-los e a analisá-los. Tente encontrar padrões nas respostas, relativas a características dos seus utilizadores, problemas que encaram e dúvidas que têm. Por exemplo, se perceber que a maioria das pessoas têm entre 30 e 35 anos, são licenciados e utilizam, maioritariamente, o instagram para interagir com as marcas, é neste perfil que se deve focar.

Chegou então a melhor parte: comece a dar vida à sua persona! Se possível, envolva a sua equipa, será importante para que se familiarizem com a persona e valorizem este processo.

Pense nela como se fosse uma pessoa real – que tem nome, um rosto, personalidade, vontade própria, medos, anseios e sonhos, como todos nós. Crie um texto descritivo, como se fosse um “storie telling” da sua persona – não se esqueça de descrever como ela interage com o seu produto / serviço – dessa forma será mais fácil perceber como vai chegar até ela.

De nada lhe serve criar uma persona, se não for para a utilizar. Dinamize a divulgação das personas junto da sua equipa e assegure-se que todos os departamentos pensam nela nos seus processos – quer sejam de vendas, design, marketing ou atendimento,

É com prazer que lhe apresentamos a Maria Luísa, uma das personas Pointless 👇

persona pointless

Agora que já sabe o que tem de fazer, meta mãos à obra! 😃

Se gostou deste conteúdo, subscreva a nossa newsletter e acompanhe todas as novidades.